paris || a caminhada de quatro quilómetros


Depois de chegarmos ao r/c da Torre Eiffel seguimos a nossa caminhada até ao Museu do Louvre. Já sabíamos que não iria dar para entrarmos nesse dia mas como a arte não é o forte do meu irmão também não o ia obrigar a estar dentro de um museu uma ou duas horas. Acabámos por fazer apenas um passeio sempre com o rio Sena do nosso lado direito, e desta forma também podemos observar a vida dos parisienses e dos turistas perdidos pelas ruas da cidade.

Fizemos quatro quilómetros desde a Torre Eiffel, passando pela Pont d'Alma, Pont des Invalides, Pont Alexandre III, Place de la Concorde, Pont des Arts e finalmente o Museu do Louvre. O google maps diz que este trajecto leva a 45 minutos a ser feito mas nós fizemos em mais ou menos uma hora e meia à vontade, sem pressas e com paragens pelo meio mas realmente achámos que iríamos demorar menos tempo.

Ainda assim, Paris está preparada para aqueles que, tal como eu e o meu irmão, decidem caminhar evitando os transportes públicos. Aqueles quatro quilómetros são feitos por uma avenida enorme bastante larga com espaço suficiente para peões e ciclistas. Só a caminhar é que se conhece a cidade e assim acabamos por planear melhor os restantes dias em Paris. Por exemplo, passámos pela Place de la Concorde mas decidimos voltar lá no dia a seguir porque o nosso objectivo ali era ir até ao Museu e depois voltar para o estúdio onde estávamos alojados e fazer umas pequenas compras para os nossos pequenos-almoços e lanches, já que as restantes refeições era feitas na rua. Quanto ao nosso regresso para o estúdio, aí fizemos de metro (tolos mas nem tanto, não iríamos aguentar fazer o trajecto todo a pé para trás).

Acreditem, o primeiro dia foi o nosso pior no que diz respeito a cansaço. Na noite anterior tínhamos ido para o aeroporto, passámos a noite em branco porque os bancos do aeroporto são péssimos, só chegámos a Paris pela hora do almoço, subimos a Torre Eiffel, caminhámos imenso e por isso estávamos mesmo estoirados. Às 21h (hora francesa) já estávamos de pijama prontos para dormir pois o dia a seguir iria ser bem mais comprido e tínhamos de recarregar baterias mas ainda assim fizemos questão de ver a Torre Eiffel à noite.