paris || sacre coeur


Ir a Paris e não visitar o Sacre Coeur é um crime. Fica distante do centro mas através de metro, uns metros a pé e um teleférico até ao topo, torna-se um passeio agradável.

O meu irmão ficou encantado com a basílica. Situada no topo de Montmartre, que é o ponto mais alto da cidade, havia uma multidão sentada nas escadas principais até ao Sacre Coeur. Optámos por nos sentar ali um pouco depois de conhecer melhor o Sacre Coeur e darmos a volta ao mesmo. Que construção fantástica da época do românico. Com quatro cúpulas, todas elas adornadas ao mínimo detalhe e com uma cúpula central com oitenta metro de altura, é impossível deixar de olhar para a basílica. Tivemos a oportunidade de espreitar o seu interior mas como estava a decorrer uma missa, apenas nos limitamos a observar os vitrais e a decoração interior. 

Cá fora, e depois de darmos a volta ao Sacre Coeur, fomos para a escadaria e por ali ficámos. Estava um senhor a dar um espectáculo apenas para entreter o público. Dez minutos que se tornaram em vinte e embora ele repetisse tudo, as pessoas continuavam a rir porque a forma como ele se metia com os turistas era divertida.

E a vista para a cidade de Paris? Simplesmente, estupenda.

paris || a caminhada de quatro quilómetros


Depois de chegarmos ao r/c da Torre Eiffel seguimos a nossa caminhada até ao Museu do Louvre. Já sabíamos que não iria dar para entrarmos nesse dia mas como a arte não é o forte do meu irmão também não o ia obrigar a estar dentro de um museu uma ou duas horas. Acabámos por fazer apenas um passeio sempre com o rio Sena do nosso lado direito, e desta forma também podemos observar a vida dos parisienses e dos turistas perdidos pelas ruas da cidade.