condado de clare || castelo de bunratty


Castelos, castelos e mais castelos. Nunca mais acabam na Irlanda. Apresento-vos o Castelo de Bunratty & Folk Park.

O Castelo de Bunratty é um castelo medieval, construído em 1425 e restaurado em 1954 no qual encontramos mobílias e adereços que nos remetem aos séculos XV e XVI. Tenho inúmeras fotografias do interior, mas o espaço que mais gostei foi a sala principal, onde estão dispostas as mesas para a refeição. É um espaço para o qual olhamos e nos imaginamos a viver naquela época. É inevitável. Depois da recepção no grande salão, fomos conhecer os restantes andares e digo-vos que aquelas escada altas, em caracol e íngremes são terríveis. Subi imensas, neste e noutros castelos. Aconselho a uma preparação física antes de se aventurarem a conhecer castelos. Malditas escadas.

Para chegarmos até ao castelo temos de passar pelo Bunratty Folk Park, onde podemos ver cabanas, casas de campo, instrumentos de agricultora e animais. Imensos animais. A primeira paragem foi o Castelo porque tínhamos uma hora marcada para a visita, mas depois tivemos tempo livre para descobrir o parque. Adorei algumas cottages, nunca tinha visto nenhuma tão de perto. O ambiente era fantástico mesmo com a chuva miúda.

Uma paragem obrigatória para aqueles que gostam de saber mais sobre a vida de campo na Irlanda.

condado de down || dundrum castle


A Irlanda divide-se em Counties (Condados), e durante a minha estadia em Dublin, visitei alguns que não são tão procurados pelos turistas mas como reservei os meus passeios por excursões então acabei por visitar lugares maravilhosos que não chegaria a visitar se tivesse feito tudo de forma individual. 

No Condado de Down, existe uma pequena vila com cerca de mil habitantes mas guarda um segredo maravilhoso - o Dundrum Castle.

Em estado avançado de degradação, o castelo encontra-se no cimo de um pequeno planalto e começou a ser construído no início no século XIII pelos normandos. Este Castelo servia de forte para proteger toda a zona costeira desde Drogheda a Downpatrick.

Na Irlanda não faltam castelos e em todos os recantos encontramos um. O Dundrum Castle é maravilhoso. Apesar de estar em ruínas, nota-se que os habitantes de Down mantêm a zona envolvente bem tratada. O próprio castelo podia estar em piores condições.

Lá bem no cimo do castelo conseguimos ter uma vista simplesmente fantástica para a floresta, a vila e o mar. Fiquei apaixonada. É um lugar tão bonito e tão calmo.

condado de tipperary || rock of cashel


O Rock of Cashel foi o primeiro castelo que visitei. Foi residência dos reis de Munster e este foi dos poucos que sobreviveu à invasão normanda. A torre de Cashel mantém-se perfeitamente preservada e mede cerca de 28 metros de altura mas não é possível até lá em cima. A Capela  e a Catedral encontram-se em reconstrução.

Um facto engraçado e muito comum em todos os castelos que visitei é que a envolvente é verde. Ao longe vê-se habitações, mas nada que se compare aos castelos em Portugal. Talvez há muitos anos atrás havia casas e fazia-se uma vida à volta dos castelos na Irlanda (que eu acredito que sim), mas é certo que ao pensar bem sobre isto e nas fotos que tenho, não há muitos vestígios de vida.

cork || blarney castle, house & gardens


A propriedade Blarney Castle, House & Gardens é linda. Não se sabe bem a data de construção do castelo mas o mesmo foi totalmente destruído em 1446. No entanto, voltou a ser reconstruído mais tarde a mando do rei de Munster - Dermot McCarthy.

Os jardins são enormes, e dividem-se em seis secções: Poison Garden, Fern Garden & Ice House, Arboretums & Pinetum, Herbaceous Border, Bog Garden e Irish Garden. Em cada um deles encontramos as mais variadas e únicas plantas. Uma paragem obrigatória para aqueles que adoram esta área.

Agora encontra-se em ruínas, mas ainda assim podemos entrar dentro do castelo onde ainda conseguimos distinguir alguns compartimentos como sala, cozinha e quarto. No entanto, o castelo de Blarney não é conhecido pela sua estrutura mas sim pela lenda à volta dele. 

Existe uma pedra que faz parte da construção do castelo que confere o dom da eloquência a todos aqueles que a beijam. Tudo bem até aqui, mas para a beijarmos temos de nos agarrar a um corrimão de aço e virar-nos ao contrário. Mas não temam. Até que chegue a vossa vez, têm muito tempo para se prepararem psicologicamente porque ao verem a que altura estão e ao saberem que têm de se virar ao contrário, acredito que tenham um ataque de pânico. Ainda assim, não fazem esta ginástica sozinhos pois está sempre um senhor - já super velhinho - que vos agarra e ajuda-vos a chegar até à pedra.

Para que não restem dúvidas, eu partilho a foto que comprova que estava no momento de aproximação da pedra para a beijar. 

cork || a cidade


Cork é a segunda maior cidade da Irlanda e tem tudo a ver comigo. Avenidas e ruas repletas de gente, carros num trânsito infernal, corajosos de bicicleta, artistas de ruas. Tudo aquilo que me faz vibrar.

Um local obrigatório é a Igreja de St. Anne, símbolo da cidade. A Igreja é linda e tem um aspecto bastante interessante que é, na verdade, o que cativa mais os turistas: a possibilidade de tocarmos os sinos da igreja.

À entrada e mediante pagamento - dois euros - é nos dados uns auscultadores com enorme protecção em que deixamos de ouvir para colocarmos a partir do segundo andar da torre da igreja. O primeiro andar é onde estão as cordas que fazem os sinos tocar. Ao lado temos um livro com várias músicas e instruções de como tocar aquela que queremos. Eu toquei uma mas já não me recordo qual foi.

Quando passamos para o segundo andar, está toda a construção dos sinos e aí é que sentimos as vibrações de quem está no andar de baixo a puxar por eles. Acreditem, subir aquele andar é difícil porque é super baixo, as escadas são pequenas madeiras e se alguém estiver a descer temos de esperar porque não passa mais do que uma pessoa de cada vez. 

O terceiro andar é uma varanda que dá a volta à torre e da qual nós temos uma vista panorâmica da cidade que é maravilhosa. Gosto do facto de os únicos edifícios que sobressaem são as igrejas de Cork.