fora do ninho || o abate na conta bancária


Ao sair de casa eu sabia que não ia ter a ajuda dos meus pais. Nem eu queria. Se tomei esta decisão de passar a viver sozinha, não fazia sentido para mim pedir ajuda monetária aos meus pais no que quer que fosse.

Sair de casa envolveu logo o pagamento de duas rendas e a compra de tudo aquilo que era necessário para tornar a minha vida possível aqui. Para além disso as contas chegam no final do mês e a minha primeira conta da EDP foi um assalto à minha conta. Não mandei contagem e fizeram por estimativa. Eles são loucos e nem sei como é que há pessoas que não dão as contagens. Se soubessem o quanto estão a ser roubados.

Os primeiros meses são, sem dúvida, de adaptação. É o abate na conta bancária e habituá-la e habituar-nos às contas certinhas no final do mês de água, luz, alimentação e imprevistos que possam surgir - que surgem! É preciso saber fazer a distinção do que é mesmo necessário e do que é superficial e pode esperar pelo próximo mês pois o ordenado não estica nem por mais força que façamos.

1 comentário :

Ellen disse...

Quero muito ir viver sozinha, mas sinto que ainda não estou preparada!