sua majestade, londres || the harry potter experience

março 16, 2016


Esta paragem é obrigatória para quem é fã incondicional de Harry Potter mas é uma visita que nos leva uma manhã ou tarde inteira. Prometi a mim mesma que desta vez iria ao parque e para além de não me arrepender, quero voltar.

O parque fica um pouco distante do centro de Londres mas têm várias formas de poder chegar lá: carro, comboio e transfer. Eu optei por ir de transfer. Estão a ver aqueles autocarros enorme alusivos ao Harry Potter? Eu fui num desses e durante a viagem tivemos direito a ver o "Harry Potter e a Pedra Filosofal". Que nostalgia!
A primeira sala é alusiva aos livros e aos respectivos filmes, a toda a produção e a todo o sucesso da saga. Basicamente um "foi assim que aconteceu".

Depois, passamos para a sala de cinema, em que temos um pequeno filme dos actores a contarem-nos como foi toda a experiência de gravar esta saga. No fim, as portas para a sala de banquetes abrem-se. Uau!! Agora sim estamos a entrar no espírito. Se aquela comida toda fosse verdadeira (que já foi), acreditem que os visitantes se sentariam para ter ali um convívio fantástico. Crianças e adultos, ficou tudo pasmo.

A seguir, passa-se para a sala onde temos a explicação de tudo o que é utilizado nos filmes. Todos os elementos, as decorações das salas de aulas, da sala de convívio dos Gryffindor, o quarto do Harry Potter, a casa do Hagrid, as portas do Ministério da Magia, tudo! Dá mesmo vontade de encarnar a nossa personagem preferida. Todos nós ali podíamos perfeitamente ser uma personagem dos filmes.

Pessoalmente, gostei de saber o que está por detrás dos milhentos efeitos especiais que os filmes têm. É giro perceber como tudo funciona.

Passamos agora para a sala do tão querido comboio de Hogwarts. Todos nós já sonhamos e continuamos a sonhar com o dia em que entramos no comboio e seguimos viagem para um lugar melhor, ou estou a mentir? Ele prepara-se para descolar, o fumo sai da pequena chaminé mas antes temos de tirar a foto da praxe na plataforma 9-3/4, para seguir a lógica não é? Esta plataforma também se pode encontrar na estação de King's Cross mas essa não é tão bonita como a que está no parque. Também é possível entrar dentro do comboio e, em cada compartimento, vemos os elementos usados nas cenas passadas no comboio de cada filme.

Fazemos uma pausa agora? Depois da sala do comboio, entramos numa sala onde é possível comprar comida, sentar e ficar ali um pouco a repor energias. Eu preferi continuar a minha visita e fui dar a Private Drive, à ponta de Hogwarts e às peças de xadrez. Aqui fiquei um pouco desiludida porque tinha a expectativa de encontrar o tabuleiro e as peças colocadas no mesmo mas não. Tabuleiro não há e as peças estão ali apenas expostas. Um ponto que deve ser corrigido, sem dúvida.

Já vimos tudo aquilo que vemos nos filmes, mas falta aquilo que não passa pelos nossos olhos. Todas aquelas criaturas estranhas que fazem parte da saga têm de ser criadas de alguma forma, e é isso que a sala a seguir mostra. Explica como é que são desenhadas essas caras na cara do actor e como é passada a imagem para o ecrã. Gostei imenso de perceber como funciona e acreditem, aquilo deu mesmo muito trabalho. 

E perguntam, mas isto nunca mais acaba? Calma. Agora vamos a Diagon Alley. Entram na rua e a ideia que têm é "e agora podíamos gravar aqui uma cena, não?" Por acaso até seria boa ideia se colocassem algum movimento da rua pois estava muito sossegado. Ou isso ou porque fui quase a primeira a chegar a Diagon Alley e claro que tirei fotografias com poucas pessoas ali. E ali um pouco escondida está a porta do Gringotts Wizarding Bank
Chegamos à sala da arquitectura em papel. Digo-vos que não percebi nada do que ali estava, mas todos aqueles ricos, todas aquelas medições foram a base de todas as construções feitas de propósito para a saga Harry Potter. E a seguir ao papel, passamos para as maquetes. Tão giras!! Todos os detalhes, imagino o trabalho que aquilo deve ter dado. Acreditem que depois de ter visto aquilo tudo dei muito mais valor aos filmes. Nenhum filme teria sido tão bom se não houvesse aquele trabalho todo por detrás. Uma salva de palmas a todos os profissionais que contribuíram para todas aquelas criações.

Confesso ter passado a minha visita calada (porque também fui sozinha e não tinha ninguém com quem comentar o que ia vendo), a tirar fotografias, e a absorver tudo aquilo que via mas, quando cheguei à sala da escola de Hogwarts não consegui contar um "uauu". As fotografias não fazem jus à verdadeira beleza, encanto e altura do castelo/escola. Foi, possivelmente, o que me fez ficar mais tempo num lugar a olhar para algo. Tudo o que antes era maravilhoso, parei, observei e recordei cenas dos filmes mas nesta sala em específico, fiquei mesmo parada a imaginar como seria tão fixe ter uma experiência numa escola assim. É impossível não imaginar. É o ponto alto de toda a visita, sem dúvida. E ainda bem que o guardaram para último.

E como tudo na vida, chegámos ao fim. A paragem agora é na loja de recordações onde podemos entrar todo o tipo de merchandising da saga. Se quiserem trazer lá algumas coisas, aconselho a levar algum dinheiro.Eu trouxe apenas um porta-chaves, uns postais e um emblema para a capa do traje de uma amiga que é outra doida por Harry Potter mas a ideia era trazer um chachecol ou uma t-shirt e acabei por não o fazer por causa do preço.

Está na hora de ir ter com o transfer e regressar a Londres. Aproveitem a viagem para rever as fotografias que tiraram e prometam a vocês mesmos que um dia voltarão porque o Warner Bros Studio Tour - The Making of Harry Potter é um parque que merece mais do que uma visita.

MAIS INFO:

You Might Also Like

0 comentários