mulher da cidade


Lembram-se de na vossa infância, lerem livros d' "O Rato da Cidade e o Rato do Campo"? Eu considero-me ser, e com muito orgulho, uma mulher de cidade.
Sei pouco sobre o campo e sobre a vida de agricultores. Cresci na cidade e fui habituada a ter tudo vindo dos supermercados. Os meus pais nunca tiveram terras nem animais e vivemos sempre numa zona onde isso não há.
Falo como as pessoas da cidade e não como as pessoas do campo onde trocam os "b's" pelos v's" e onde dizem "prontoS", e não sabem conjugar bem os verbos, como na aldeia onde o meu pai nasceu.

Os meus pais nasceram no campo onde tinham que cultivar, levar os animais a pastar e só depois de tudo isto feito de madrugada, é que iam à escola.

Aprendi a desenrascar-me sozinha. Os meus pais iam para as feiras às 6h e eu ficava sozinha em casa a dormir, até às 8h ou 8h30, para ir para escola às 9h. Nunca cheguei tarde e nunca faltei. Fui habituada a costumes diferentes e não me envergonho disso. Cresci muito perto do centro da cidade. Estou habituada ao movimento, à correria. Quando estou no campo, canso-me rápido. Não há nada a fazer, literalmente.

Apesar de tudo, gosto do campo. Para passar um ou dois dias em jeito de retiro mas, se me derem a escolher entre uma casa de campo ou uma hotel na cidade para umas férias, continuaria a optar por um hotel na cidade.

14 comentários :

P' disse...

Eu e o meu namorado também somos assim. Ele é um homem do campo, um autêntico cowboy (até meio a vestir, sempre com camisas maioritariamente aos quasrados, jeans e botas pelo tornozelo mais o casaco de pele castanho). Gosto do sossego do campo mas para viver acho que não é para mim.

r: É uma bela prenda :) eu já estou a ler o segundo do Gustavo e só já não li os 6 que ele já publicou porque infelizmente as minhas economias não dão para comprar assim tantos livros de uma virada só xD

The Conscience Manifesto disse...

Eu pessoalmente divido-me muito entre as duas. Tenho uma relação amor-ódio com Lisboa. Costumo dizer que me foi uma cidade que me deu tudo mas também já me fez sofrer bastante. E não é assim tão difícil encontrar paz mesmo nas grandes cidades ♥ afinal casa é onde estiver a nossa família.

Lis disse...

eu vivo no campo e não troco os B's pelos V's nem digo prontos ... entre outros. Isso é mesmo um estereotipo :(

Briana disse...

Para viver gosto da cidade, para passar férias gosto de variar, nem sempre campo nem sempre cidade

Bonjour Love disse...

não é só no campo que se trocam os b e os v. também no Norte se troca. eu também gosto mais da cidade, enquanto que o meu namorado gosta mais do campo.
r: eu pensava que tinha a opção de blogue pessoal, mas não :/

Kate disse...

Essa parte de trocar os b's pelos v's e tudo o resto é puro preconceito/estereótipo... Actualmente, vivo na cidade mas vivi a minha infância entre a aldeia dos meus avós e a cidade e fui muito, muito feliz lá.

marie disse...

Eu cresci e vivi no campo. Há uns anos que vivo na cidade, e não sei, gosto dos dois e preciso dos dois. Na cidade tudo é próximo e tenho liberdade para fazer o que quero e andar por onde me apetece sem ninguém me conhecer (não tenho paciência para aturar a bisbilhotice de algumas pessoas da minha terra). Mas por outro lado, há dias em que só quero a calma da minha outra casa.

Vee disse...

sou como tu, adoro a cidade :)

Roxy disse...

Há aldeias e aldeias, cidades e cidades...

r: É muito bom!

Cabanas disse...

Tudo tem prós e contras...há turismo rural impressionante e há hotéis de cidade verdadeiramente espetaculares...eu cá se pudesse alternava...

Indie disse...

Eu sou da cidade mas muito ligada ao campo. Se houver um cataclismo, sei plantar batatas e couves, o que não é mau tendo em conta que há quem não saiba de onde vêm as batatas. EHEH

É bom ter um pouco dos dois mundos!

Becas disse...

eu gosto dos dois sitios

F. disse...

De certa maneira compreendo-te , eu vivo a 10 minutos de Lisboa , estou lá metida todos os dias e a correria , é que me faz gostar dela , os turistas deslumbrados , os cafézinhos cheios de pessoas , aquele ambiente , cidade com um toque de bairro .
Mas quando chega aquela altura que me posso esquivar , rumo a 500km norte , não há net , apenas num café , quero comprar algo é na bomba de gasolina , gosto daquela calmaria , e se há coisa que é santo cada dia que passo lá , é beber o café da manha ali a respirar ar fresco .
Acho que sou meia do campo e meia da cidade :D
r: Obrigada minha querida :)

Panda disse...

Sou do campo e olha que me ofendeu isso de dizeres que trocam os v pelos b e dizem prontos. Mania de generalizar.
Vivi no campo até aos 17 anos e moro na cidade há 13 anos. E acredita que na cidade encontrei muito mais gente ignorante do que alguma vez no campo.
Mas é como em tudo na vida: há coisas boas e más tanto na cidade como no campo, há pessoas educadas e mal educadas tanto na cidade como no campo, há de tudo em todo o lado =)
É a beleza desta vida.